O que é uma Stablecoin?

Stablecoins são criptomoedas cujo valor está atrelado a um outro ativo estável. Atualmente, as stablecoins mais usadas no mundo são pareadas no dólar, mas elas também podem ser pareadas em commodities, ouro, imóveis, moedas fiduciárias de economias desenvolvidas, uma combinação de todas essas opções ou em qualquer outro ativo que seja relativamente estável. 

Essas criptomoedas foram desenvolvidas com o objetivo de minimizar o problema da volatilidade do preço das criptomoedas. Por exemplo, uma stablecoins ligada ao dólar terá sempre o mesmo valor que a moeda fiduciária, na  proporção 1 para 1. Isso significa que o valor das stablecoins é sempre o mesmo da moeda fiduciária na qual ela está atrelada. 

Stablecoin e a Volatilidade das Criptomoedas

Historicamente, a volatilidade do bitcoin tem se tornado cada vez menor. Entretanto, se comparado com outros ativos, como o ouro ou o USD, o Bitcoin ainda apresenta uma volatilidade que assusta os investidores acostumados com a estabilidade dos investimentos tradicionais. 

stablecoin e volatilidade no bitcoin


O preço do Bitcoin e das criptomoedas é definido de acordo com a lei da oferta e da demanda mundial e por isso, apresenta grande oscilação. Essa volatilidade pode ser uma das grandes responsáveis pela popularidade dos ativos digitais, já que as pessoas querem investir em ativos cuja valorização futura pode ser exponencial, devido aos lucros potenciais desse investimento. 

Entretanto, a grande oscilação do preço das criptomoedas pode afastar investidores de perfil conservador e dificultar o uso das criptomoedas como meio de pagamento. Por isso, as stablecoins foram desenvolvidas. E devido a essa característica, elas podem ser responsáveis por criar um ponto de inflexão para uma adoção em massa das criptomoedas. E muitos indícios apontam para esse caminho. 

Apesar do seu recente desenvolvimento, o Tether - stablecoin mais usada- já está em 7° lugar do marketcap geral das criptomoedas. E juntas, as stablecoins mais famosas do mundo já movimentam mais de R$ 100 bilhões diariamente. 

Por que usar uma Stablecoin?

As stablecoins juntam o melhor do mundos: a estabilidade de moedas de economias estáveis com a segurança e internacionalização da criptografia, a transparência da blockchain e a eficiência de um mercado que funciona 24 horas por dia. Além disso, elas podem ser negociadas em qualquer lugar do mundo sem barreira de entrada.  

Em resumo, a popularidade das stablecoins vem do fato de que elas eliminam a incerteza do investimento. Em econômicas que sofrem com a hiperinflação, má gestão da política monetária, instabilidades políticas e guerras comerciais, as stablecoins se apresentam como uma opção muito interessante. 

Desde 2015, o número de transações realizadas com stablecoins só tem crescido, assim como sua capitalização de mercado. Atualmente, elas estão próximas de atingir o patamar do Bitcoin. 

stablecoin

   fonte:coinmetrics https://coinmetrics.io/charts/#assets=usdt,btc,dai,pax,gusd,tusd,usdc_left=TxCnt_zoom=1367107200000,1553990400000

Como uma stablecoin mantém o seu valor?

Existem três mecanismos usados para dar estabilidade às stablecoins: colaterização com fiat, colaterização com cripto e stablecoin algorítmicas. 

Colaterização com fiat

O primeiro e mais comum funcionamento de uma stablecoin é a colaterização com moedas fiduciárias. Nesse caso, uma empresa centralizada mantém a reserva da moeda fiduciária (como o dólar) ou do ativo como garantia para emitir o token que representa esse dinheiro na proporção 1 para 1.

Essas reservas são mantidas por custodiantes independentes e são auditadas regularmente. Isso faz com que você possa trocar o token para moeda fiat ou vice versa sem problemas. 

Colaterização com cripto 

As stablecoins baseadas em cripto baseiam sua colaterização normalmente em uma “cesta” de criptomoedas bem consolidadas no mercado a partir do mecanismo de “supercolaterização”. Nesse caso, o custodiante mantém um valor acima do valor indicado 

Stablecoins não colaterizadas ou algorítmicas

Por último, existem as stablecoins não colateralizadas. Nesse caso, os smart contracts executam a função de um banco de reserva, monitorando a oferta e a demanda do ativo. O smart contract é responsável por comprar moedas em circulação quando os preços estão muito baixos e emitir novas quando os preços estão ficando muito altos. Mantendo assim, o preço estável. 

Libra, a stablecoin do Facebook

O Facebook anunciou o lançamento da sua própria stablecoin, a Libra. O projeto é de uma criptomoeda lastreada em ativos de baixa volatilidade, como depósitos bancários e títulos públicos de governos estáveis.

A parte interessante dessa colaterização é que a cesta será composta apenas por ativos com relativa liquidez e moedas fiduciárias de governos estáveis e com inflação controlada. A proposta do facebook e das outras 27 empresas que estão no projeto é criar uma moeda digital que possa ser utilizada como um meio de pagamento global.

Principais Stablecoins 

stablecoin

O Tether  é uma stablecoin colateralizada com o dólar americano desenvolvida sobre a rede Bitcoin blockchain, através do Omni Layer Protocol.  O token foi criado por uma empresa do mesmo nome, registrada em Hong Kong. A empresa disponibiliza um link em que é possível conferir o balanço dos fundos do USDt. 

TrueUSD é um token ERC20, baseado na tecnologia do Ethereum e colaterizado com o dólar. A stablecoin foi criada pela plataforma TrustToken, que desenvolveu parcerias com bancos registrados que detém os fundos que garantem a colateralidade dos tokens, de forma que a TrustToken não tem acesso direto aos fundos. Os investidores do TrueUSD tem certificados de saldos garantidos, garantia legal contra a apropriação indevida do USD subjacente.

A USD Coin é uma stablecoin nativa da Ethereum, lançada e desenvolvida pelo CENTER, um projeto de código aberto que recebe contribuições da Circle e da Coinbase. O USDC é emitido por instituições regulamentadas responsáveis por mantêm as reservas da moeda fiduciária equivalente aos tokens emitidos. Os emissores são obrigados a relatar suas reservas de USD e a Grant Thornton LLP emite relatórios sobre essas as reservas mensalmente. 

O Paxos Standard (PAX) é um stablecoin pareada em dólares americanos. A Paxos, a empresa por trás da PAX, tem uma carta do Departamento de Serviços Financeiros do Estado de Nova York, que permite que ela ofereça serviços regulamentados no mercado de ativos digitais. 

A stablecoin Gemini (gUSD) é emitida pela Gemini Trust Company LLC, uma exchange e custodiante de criptomoedas de Nova York fundada pelos irmãos  Winklevoss. A gUSD é colateralizada com o dólar, cuja custódia é mantida pelo State Street Bank e Trust Company. A gUSD é auditada mensalmente pela BPM, LLP, uma firma de contabilidade pública. 

Dai (DAI) é uma stablecoin cujo valor é pareado em USD, mas, diferente da maioria das stablecoins do mercado, ela não tem autoridade central. Sua estabilidade é mantida pelos smarts contrats. Quando o Dai vale mais de US $ 1, os automaticamente o algoritmo trabalha para diminuir o preço. E quando o Dai vale abaixo de US $ 1, os algoritmos trabalham para aumentar o preço. 

Voltar para posts

A revolução financeira é para todos.
Cadastre-se no Quantum!

ABRIR MINHA CONTA