Saiba tudo sobre a Libra, a criptomoeda do Facebook

A Facebook e outras 27 empresas anunciaram a Libra, uma criptomoeda que será usada para transferir dinheiro globalmente usando WhatsApp e Messenger. Confira tudo sobre a nova criptomoeda.

O que é a Libra?

O dia 18 de junho se tornou um marco para as criptomoedas. O Facebook anunciou um projeto super ambicioso: o lançamento da sua criptomoeda própria, a Libra. Em seu white paper, a criptomoeda é apresentada como uma moeda digital global e uma infraestrutura financeira que dará poder a bilhões de pessoas.

A Libra é um projeto de criptomoeda lastreada na Reserva Libra, uma cesta de ativos estáveis lastreados em títulos governamentais e desenvolvida conjuntamente por empresas como Uber, Spotify e Visa. A criptomoeda funcionará a partir de um blockchain próprio, a blockchain Libra e será transferida entre os usuários através da carteira Calibra.

Segundo o white paper, a criptomoeda pretende ser uma alternativa mundial para os desbancarizados, substituindo os cartões de crédito e o papel moeda. Esse objetivo seria alcançado ao atribuir a Libra, os atributos das melhores moedas do mundo: estabilidade, baixa inflação, aceitação global e fungibilidade.

Com a nova criptomoeda, será possível fazer compras e transferências no Instagram, Facebook e transferências via WhatsApp e Messenger, transformando a experiência de movimentar dinheiro pelo mundo em uma atividade tão simples quanto enviar um SMS ou compartilhar uma foto com um amigo.

Lastro da Libra: uma cesta de ativos estáveis e diversificados

A criptomoeda será lastreada em ativos de baixa volatilidade, como depósitos bancários e títulos públicos de governos estáveis. Com isso, os mantenedores do projeto esperam que o valor da Libra seja relativamente estável, já que ele estará associado à uma cesta de moedas fiduciárias.

A parte interessante desse lastro é que a cesta será composta apenas por ativos líquidos e moedas fiduciárias de governos que cumpram certos requisitos, como: estabilidade governamental, inflação controlada e liquidez. A proposta é que essa estratégia seja capaz de prover estabilidade à moeda e que ela possa ser utilizada como um meio de pagamento global.

Diferente de outras stablecoins que são lastreadas a uma única moeda, a Libra é lastreada em vários ativos. Dessa forma, dificilmente o ativo terá grandes quedas ou valorizações. A diversidade de ativos que vão compor o valor da moeda somado a escolha desses ativos tende a criar uma criptomoeda de valor estável em longo prazo.

Por ser lastreada em uma cesta de moedas e títulos de baixo rendimento, o investimento no token só é interessante caso o investidor esteja em um país que sofra de hiperinflação, do contrário dificilmente ela se valorizará. Além disso, a missão de bancarizar os underbankeds pode sofrer sérios problemas caso enfrente sanções regulatórias.

O Bitcoin em comparação, segue como a principal criptomoeda do mercado, sendo incensurável e podendo ser transferida para qualquer lugar do mundo. Por ter uma política monetária deflacionária, o Bitcoin tende a se valorizar no longo prazo, tendo uso claro como principal reserva de valor do setor de criptoativos.

Quem manda na Libra?

libra

A gestão da Libra não será exclusividade do Facebook. Atualmente, há 28 membros fundadores que estão participando do processo de desenvolvimento, lançamento e de gestão da nova criptomoeda.

Entre os membros fundadores -além do Facebook (que no projeto, responde como Calibra)-, estão presentes compondo a Associação Libra: Mastercard, Mercado Pago, PayPal, PayU, Stripe, Visa, Booking Holdings, ebay, Farfetch, Lyft, Spotify, Uber, iliad, vodafone, Anchorage, BisonTrails, Coinbase, Xapo, Andreesen Horowitz, Breakthrough Initiatives, Ribbit Capital, Thrive Capital, USV, Creative Destruction, Kiva, Mercy Corps e Women’s World Banking.

Para se tornar um membro da Associação Libra é necessário inúmeros requisitos: investir ao menos US$ 10 milhões em tokens Libra Investment, ter uma marca de pelo menos US$ 1 bilhão de valor de mercado, capacidade de atingir 20 milhões de pessoas por ano e estar na lista da Fortune 500. Dessa forma, trata-se de uma Associação de participação extremamente restrita.

Porém, apesar da Associação ser formada por inúmeros players, em documento oficial, é destacado o papel do facebook no desenvolvimento da Libra. O documento explicitamente traz:

Embora a tomada de decisão final seja de competência da associação, o Facebook deverá manter um papel de liderança durante o ano de 2019 (…) Assim que a rede Libra for lançada, o Facebook e suas afiliadas terão os mesmos compromissos, privilégios e obrigações financeiras que os outros Membros Fundadores. Como um membro entre muitos, o papel do Facebook na governança da associação será igual ao de seus pares.

Libra: a Stablecoin Libra e o Token Security Libra Investment

O que poucos sabem é que o funcionamento da criptomoeda depende na verdade de dois tokens: a Libra, que será a stablecoin transacionada entre os usuários da rede e a Libra Investment, um token security que será vendido para os mantenedores da rede (algo como os mineradores no Bitcoin).

Os detentores do token security vão ter como responsabilidade manter a rede funcionando de forma segura, validando as transações e por essa atividade, serão recompensados com as taxas de transações e juros sobre o capital investido.

Pagando os Juros dos Títulos da Libra

Aqui, vale um adendo. Os juros dos títulos que compõem a cesta da Libra não serão pagos aos detentores do token Libra, mas apenas aos membros fundadores que detiveram o token security Libra Investment.

A Calibra

A gestão da criptomoeda pelo Facebook será feito por uma subsidiária independente chamada Calibra, que será responsável por desenvolver a carteira digital da moeda. A carteira Calibra estará disponível na App Store e na Google Play, além de ser diretamente integrada nos aplicativos do WhatsApp e Messenger.

O desenvolvimento da Calibra está sendo realizado pelo Facebook e tem como objetivo fornecer uma infraestrutura global de envio de dinheiro de qualquer pessoa para qualquer lugar do mundo.

Como comprar a moeda digital?

Ainda não é possível e não há grandes detalhes sobre a aquisição já que a moeda só estará disponível no mercado em 2020. Mas provavelmente será possível comprar a moeda pelo aplicativo dos membros fundadores da Libra Association.

A Privacidade e a Libra

Tecnicamente, o protocolo da Libra permite anonimidade entre os usuários. O protocolo não vincula uma identidade real as contas e cada usuário é livre para criar quantos chaves ele quiser. E essas chaves não estão ligadas entre isso. Em teoria, o sistema seria capaz de fornecer privacidade para os usuários. Porém, as coisas são mais complexas.

Em seu site, a Calibra já deixa claro que para baixar a carteira será necessário verificar sua conta com um documento de identidade emitido pelo governo. A identidade do usuários também poderá ser verificada com as informações da conta do WhatsApp e do Facebook.

Em documento oficial, a Calibra esclarece que as informações dos clientes serão compartilhadas com terceiros em alguns casos, tais como: prevenção a atividades mal-intencionadas, exigências legais ou regulatórias, em autorização de pagamento e etc.

Resumidamente, apesar do protocolo suportar tecnicamente o anonimato, não será possível utilizar a Librasem AML / KYC.  E os dados dos clientes serão compartilhados com terceiros em inúmeros casos.

A Libra mostra como os ativos digitais e tecnologias blockchains podem ser usados de diferentes formas e privilegiando diferentes atributos. Na Libra, aspectos como acessibilidade e estabilidade são valores centrais, ao passo que questões como privacidade parecem ser secundários.

Regulamentação e a Libra

A ambição da criptomoeda Libra encontrou grande resistência pelo mundo. Governos e reguladores se manifestaram sobre a moeda pedindo um exame detalhado do projeto e de suas consequências para economia mundial e soberania das Nações.

Qualquer que seja o resultado do embate entre reguladores e o Facebook, há grandes chances de que a jurisprudência gerada no caso seja de extrema importância para todo o mercado de criptomoedas. De qualquer forma, não acreditamos que a Libra ameace o potencial do Bitcoin como investimento, entretanto ela pode sim ajudar a catalisar uma onda de valorização do BTC.

França

O presidente do Banco Central da França, François Villeroy de Galhau anunciou que Benoit Coeuré será responsável por liderar a criação de uma força tarefa junto ao Comitê Europeu do Banco Central para garantir que a criptomoeda do Facebook não seja usada para lavagem de dinheiro.

“Queremos combinar estar abertos à inovação com firmeza na regulamentação. Isso é do interesse de todos”, disse Villeroy a autoridades do setor financeiro.

O ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, adotou uma posição mais crítica e disse que Libra não pode e não deve acontecer e que está fora de questão que a criptomoeda se torne uma moeda soberana.

Estados Unidos  

Em uma linha um pouco mais agressiva, no dia 2 de julho, os representantes na Câmara dos Estados Unidos pediram que o Facebook suspendesse o lançamento do Libra até que os riscos da moeda digital à economia fossem analisados. Em carta, eles disseram:

“Escrevemos para solicitar que o Facebook e seus parceiros concordem imediatamente com uma moratória sobre qualquer movimento futuro em Libra – sua criptografia anunciada e o Calibra – sua carteira digital proposta. Parece que esses produtos podem se prestar a um sistema financeiro global inteiramente novo, baseado na Suíça e destinado a rivalizar com a política monetária dos EUA e o dólar. Isso gera sérios problemas de privacidade, comércio, segurança nacional e política monetária, não apenas para os mais de 2 bilhões de usuários do Facebook, mas também para investidores, consumidores e a economia global mais ampla (…) Como o Facebook já está nas mãos de mais de um quarto da população mundial, é imperativo que o Facebook e seus parceiros imediatamente cessem os planos de implementação até que os reguladores e o Congresso tenham a oportunidade de examinar essas questões e agir. ”

O Presidente do Federal Reserve, Jerome Powell  também se posicionou sobre a criptomoeda:

“A Libra levanta muitas preocupações sérias em relação à privacidade, lavagem de dinheiro, proteção ao consumidor e estabilidade financeira”, disse ele. “Acho que precisamos fazer uma avaliação cuidadosa, paciente e completa dos riscos reais, e acho que isso vai demorar um pouco”, acrescentou.

De acordo com a agência de notícias Reuters, o Partido Democrata dos Estados Unidos está trabalhando em um projeto de lei cujo objetivo é impedir que grandes empresas de tecnologia atuem como instituições financeiras.

Donald Trump twittou afirmando não ser fã das moedas digitais e defendeu que elas devem seguir as mesmas regras de qualquer banco, pois do jeito que estão hoje facilitam muito atividades ilegais.

Libra

Rússia

Alexei Moiseev, vice-ministro das FInanças da Rússia também se manifestou dizendo que o uso de criptomoedas para pagar por bens e serviços será sempre proibido na Rússia e que apenas sua moeda nacional, o rublo será aceito.

Austrália

Phillip Lowe, chefe do Banco Central da Austrália reafirmou sua posição crítica as criptomoedas, dizendo que há muitos desafios a serem enfrentados antes do uso massivo da criptomoeda.

“Há muitos problemas regulatórios que precisam ser resolvidos e eles precisam garantir que haja um sólido caso de negócios, por isso precisamos ter cuidado antes de tirarmos conclusões precipitadas.”

Inglaterra

O presidente do Banco da Inglaterra, Mark Carney, manifestou-se de forma mais amigável ao projeto, dizendo que estava aberto a Libra, mas que a adoção em massa demandaria  uma grande adequação aos mais altos padrões de regulamentação. Ele comentou o cenário macro, salientando que a Libra não seria lançado com uma “porta aberta” por parte dos reguladores.

Curiosidades Técnicas

TPS: a rede Libra terá capacidade de processar até mil transações por segundo (TPS), contra 7 TPS do bitcoin e 1,7 mil da rede Visa.

Move: a criptomoeda Libra e os smart contracts do projeto estão sendo construídas em uma nova linguagem de programação chamada Move.

Node: Os requisitos mínimos incluem 40 Mbps de conexão e 17 TB SSD.

Reflexões Finais: Libra, o mercado de ativos digitais e o sistema financeiro tradicional

Esperamos que em seu lançamento a Libra capture muita liquidez do mercado de criptoativos, mesmo que enfrente desafios tecnológicos e regulatórios. No momento da oferta dos tokens em mercados secundários, acreditamos que haja overshooting nos preços devido ao grande interesse.

Se a moeda obtiver sucesso, é possível que grande liquidez seja adicionada ao mercado de ativos digitais, uma vez que seria de se esperar que diversas exchanges listassem o par Libra/BTC. A utilização da Libra como principal stablecoin também adicionaria legitimidade ao mercado, já que ela será 100% lastreada em ativos confiáveis, não operando com reservas fracionárias ao menos na primeira camada.

O lançamento de uma iniciativa desse porte pode ser revolucionária para os ativos digitais. Em primeiro lugar, o evento traz grande cobertura midiática para o setor de criptomoedas, atraindo o investimento do varejo. Além disso, a criptomoeda já nasce com 2.7 bi investidores potenciais, número de usuários ativos no Facebook. Essas características fazem com que a Libra sirva como um grande reforçador positivo da tese de um grande bull market para o Bitcoin.

Além disso, ela também pode provocar uma mudança no sistema financeiro tradicional. O sucesso da criptomoeda pode ser responsável pela formação de um novo tipo de poder socioeconômico, em que poucas empresas são responsáveis por controlar uma economia global e exercer forte influência sobre a política monetária de diversas Nações.

Em cenários hipotéticos de hiperinflação das moedas que compõem a Reserva Libra ou de eventuais problemas tecnológicos com o protocolo ou blockchain da Libra, o Bitcoin pode levar a melhor. Ele seria o único ativo apolítico capaz de funcionar como reserva de valor em cenários de crise econômica global.

Links Importantes:

White Paper Libra: https://libra.org/pt-BR/white-paper/

Whipe Paper Protocolo Libra: https://developers.libra.org/docs/libra-protocol

White Paper Blockchain: https://developers.libra.org/docs/the-libra-blockchain-paper.html

Libra Association: https://libra.org

Código Blockchain Libra: https://developers.libra.org/

Calibra: https://calibra.com/

Calibra: compromisso com consumidor (documento oficial sobre o tratamento dos dados dos clientes): https://bit.ly/2GeZfip

Voltar para posts

A revolução financeira é para todos.
Cadastre-se no Quantum!

ABRIR MINHA CONTA